Kickante e SEMrush: Live 3

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Tempo de leitura: 8 minutos

Veja abaixo o que rolou na nossa terceira conversa com o pessoal da SEMrush! Se você está pensando em abrir o seu negócio, mas não sabe qual estratégia seguir, confira as dicas de marketing digital, arrecadação de fundos e empreendedorismo.

A nossa live acontece toda terça-feira, às 14h, na fan page da Kickante. Deixe suas perguntas, queremos que mais pessoas possam viver do que realmente amam!

1. Qual a ordem mais indicada para quem pensa em lançar um produto: ter um produto e depois ter uma audiência ou ter uma audiência e depois um produto?

Com a internet, não há uma ordem correta a seguir.

  • Pode-se fazer pré-lançamento: começar criando e ir aquecendo o interesse pelo produto, antes de lançá-lo. Por exemplo, você pode criar grupo no Facebook ou canal no Youtube mostrando como o seu produto vai mudar a vida das pessoas e abrindo pré-venda;
  • Você pode ser um influenciador ou contar com a o apoio de um para lançar seu produto. Assim, conseguirá gerar um boom e impactar um número grande de prospects de uma vez só;
  • Ou lançar seu produto e depois divulgá-lo. Caso seu produto seja inovador, necessário para o mercado e tenha uma demanda que se interessaria prontamente por ele.

Mas, para diminuir os riscos, sugiro criar uma campanha de crowdfunding, pois você poderá testar a aceitação de seu público, receber feedbacks que o ajudem melhorar ainda mais o produto e validar se é viável ou não produzi-lo em larga escala. Desta forma, só lança aqueles produtos que tiverem uma boa aceitação e popularidade, diminuindo os custos com produção e logística para estes “testes”. Outra vantagem do crowdfunding é a possibilidade de não depender de toda a burocracia para solicitar um financiamento em banco ou empréstimo (e inclusive correr o risco de não tê-lo aprovado).

Há muitos casos de produtos que foram divulgados via crowdfunding e receberam comentários de melhorias dos usuários (clientes), fazendo com que os criadores das campanhas tivessem que alterar os projetos/protótipos para tornar o produto mais interessante, aquecendo o interesse do público (que ganhou sensação de participar da criação do produto, tornando-o muito mais valioso aos olhos deles).

No livro “Seu Sonho tem Futuro”, que está à venda em https://www.kickante.com.br/sonho, eu ensino como planejar e preparar o seu projeto meses antes de você se sentir pronto, com menos de 30 minutos por semana. Ele traz todas as técnicas, ferramentas, método e mindset que uso há mais de 20 anos para tirar todo tipo de projeto do papel em tempo recorde e com sucesso! E ao final de cada capítulo, você ainda encontra um plano de negócios que pode ser preenchido durante a leitura. Tenho certeza que, após a leitura, poderá tirar qualquer projeto do papel!

2. Avalie seus concorrentes

Como dizem “nada se cria, tudo se copia (e melhora)”. Avalie a estratégia utilizada pelos concorrentes e como eles se posicionam no mercado.

  • O que eles fazem de bom (que eu posso também fazer)
  • E o que fazem de errado (que eu posso melhorar)?

Pode-se aprender muito com seus concorrentes, não só sobre suas forças e fraquezas, mas também sobre o mercado e seus clientes. Pegando um exemplo prático, vamos supor que você esteja querendo abrir um espaço onde quer servir café, preparações à base de cafés e bolos. Você pode aprender muito olhando para seus concorrentes, por exemplo, o gigante Starbucks. A rede já tem alcance global e gastou muito dinheiro e esforço para conhecer seu público, descobrir melhores formas de comunicação e locais para divulgação da marca.

Acompanhe o seu concorrente, descubra quais mídias e meios de comunicação ele usa para falar com clientes (blog, redes sociais, site corporativo, mídias impressas), qual mensagem quer passar para o público e quais palavras usam para isso. Design, linguagem, formato de mensagens e até horários de postagens -essas informações valem ouro e podem fazer grande diferença para a sua empresa.

Você pode acompanhar as ações de seus concorrentes online ou contar com a ajuda de ferramentas especializadas, por exemplo a SEMrush, focada em inteligência competitiva que ajuda a comprar a sua estratégia com a dos seus concorrentes. Com a SEMrush você consegue informações sobre a estratégia de palavras*chave do seu concorrente, de PPC, relações públicas, backlinks e redes sociais.

3. Os investidores estão de olho em quem arrecada fundos!

Crowdfunding se transformou em uma vitrine de novos (e bons) projetos. Muitos investidores, por exemplo, usam plataformas de CF para procurar novos negócios e ideias inovadoras. Eles estão de olho em projetos inovadores e que possuam boa aceitação do público.

Em abril de 2014, a Oculus VR foi adquirida pelo Facebook por US$ 2 bilhões! No Brasil, a criadora da campanha 1º box de beleza, com produtos cruelty free! também recebeu o contato de investidores após ultrapassar sua meta e arrecadar R$ 18 mil para produzir caixinhas mensais de produtos cosméticos livres de crueldade animal. O pessoal da campanha Guarddy também recebeu vários contatos de investidores interessados na ideia e no desenvolvimento do projeto.

“Eu acredito que a democratização da captação de recursos através de crowdfunding é um avanço incrível para os empresários e entidades sem fins lucrativos” (“I believe that the democratization of fundraising through crowdfunding is an incredible breakthrough for entrepreneurs and nonprofits”) disse Wayne Kimmel, sócio-gerente da SeventySix Capital, que já investiu em projetos inseridos em plataformas de financiamento coletivo.

4. Como me aproximar dos meus clientes e criar uma relação de confiança?

Quando as marcas e os artistas interagem diretamente com seu público (seu clientes), geralmente, o engajamento é bem mais elevado. Além disso, os que promovem essa interação com mais frequência – diariamente ou mais de uma vez por dia – também veem mais retorno.

A abordagem precisa ser natural, pois apesar de estarem falando com milhares ou até milhões de pessoas ao mesmo tempo, tem que parecer uma conversa entre amigos de anos. A impessoalidade de um artista ao falar com seus fãs pode ser a chave do fracasso. Entretanto, ao falar com os fãs individualmente, você os torna especiais dando a cada um a atenção merecida.

Exemplo:
Alex Day – um cara que provavelmente você não conhece – lançou seu álbum no mesmo dia que Justin Timberlake lançou o seu novo CD, 20/20 Experience. Alex estreou no iTunes em uma colocação melhor que Justin.

Achou estranho? Apesar de não ter uma base de fãs tão grande quanto a de Timberlake, os fãs de Alex se preocupam profundamente com ele. Eles têm uma relação mais próxima, talvez, porque o rapaz mostra parte de sua vida através do YouTube. Então, quando ele pediu apoio aos fãs para comprarem seu álbum, o retorno foi imediato.

Redes sociais ajudam muito a alcançar este objetivo. Elas permitem não só enviar mensagens mais personalizadas para seu público, mas também ouvir seus usuários. Para isso, é muito importante fazer a monitoramento de menções da sua marca nas redes sociais e mídias.

Aliás, você pode monitorar menções da sua marca, sua palavra-chave ou a marca do seu concorrente para ter mais oportunidades de se aproximar à cliente. Diariamente, seus usuários contam sobre problemas e dificuldades deles nas redes sociais e a sua tarefa é ouvi-los e reagir à tempo para conquistar e ganhar consumidores fieis. Alguns exemplos:

  • Sua marca: não conseguiu comprar, reclamamos nas redes sociais; se você reagiu rápido e ajudou, ganhou cliente agradecido, mas se não reagiu rápido, o usuário pode decidir comprar do concorrente;
  • Marca do concorrente: se você encontrar um comentário frustrado de um usuário sobre o concorrente, por exemplo “Samsung Galaxy está fora do estoque no site Submarino, não consigo comprar!” aproveite e ofereça seus serviços, responda rapidamente oferecendo para comprar o mesmo produto no seu site;
  • Palavra-chave: “Quero comprar Samsung Galaxy” – envie o link para o seu site onde o usuário poderá efetuar a compra;
  • Regras principais:
    • Resposta rápida;
    • Cliente está sempre certo (reconheça o erro e peça desculpas pela experiência ruim do usuário, mesmo se a culpa não for do seu site);
    • Ofereça solução;

Ferramentas: SMM tool SEMrush, Brand Monitoring

5. Como ficar antenado sobre o mercado digital?

  • Frequente eventos do setor;
  • Mantenha relacionamentos com pessoas da área;
  • Se preocupe em disseminar esse conhecimento para sua equipe ou contrate um fornecedor especializado para lhe auxilar (muitos trabalham por demanda – por hora), o que lhe dá flexibilidade;
  • Assine blogs com informações de qualidade como Rock Content, Resultados Digitais, Agência Mestre, SEMrush Brasil e também do exterior como o Search Engine Land;
  • Fique atento à agenda de webinars da SEMrush;
  • Siga influenciadores nas redes sociais.

Confira o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *